top of page

Qual a Diferença entre Escola Cristã e Educação Domiciliar (Homeschool)?

 Por Zachary Garris


Embora o governo tenha o monopólio da educação, todos os estados da América atualmente permitem que os pais optem por não frequentar as escolas públicas. Felizmente, isso ainda dá aos pais a oportunidade de proporcionar aos filhos uma educação cristã.[1] Existem duas opções aqui: escola cristã particular ou educação domiciliar.


A Escola Cristã Ideal

Se os pais puderem encontrar uma escola cristã com bons resultados acadêmicos, esta é certamente uma opção atraente. Infelizmente, muitas escolas cristãs são cristãs apenas no nome. Elas se parecem com as escolas públicas com a adição de oração, capela e criacionismo nas aulas de ciências. Parte do problema é que muitas escolas particulares ainda são controladas por regulamentações estaduais. Elas modelam seu currículo de acordo com as escolas estatais, usam livros didáticos endossados pelo Estado e exigem que os professores obtenham certificação estatal de ensino. Essas escolas “particulares” estão sujeitas ao Estado e devem ser evitadas.


Em vez de modificar levemente o modelo de escola estatal, as escolas cristãs deveriam repensar todos os aspectos da educação à luz dos princípios bíblicos. Uma verdadeira escola cristã deve procurar fornecer acadêmicos rigorosos, uma cosmovisão bíblica e uma comunidade cristã. Os professores devem ser qualificados em seu campo, mas também devem ser bons modelos para os alunos.[2] A administração deve ser seletiva nas admissões de modo a criar um ambiente positivo para todos os alunos. Devem também exigir comportamento cristão e excelência na sala de aula. Quanto ao currículo, as escolas cristãs devem ensinar matérias religiosas como Bíblia, teologia sistemática, apologética e história da igreja. Elas também devem ensinar ciências, matemática, história e literatura a partir de uma perspectiva bíblica. Todas as matérias devem ter o Deus trino da Escritura como fundamento para conhecimento e sabedoria.


A escola cristã deve vir ao lado dos pais cristãos para auxiliar no processo educacional e de discipulado. A escola cristã não existe para suplantar o papel dos pais, mas para fazer parceria e apoiá-los. Os pais que mandam seus filhos para uma escola estão estendendo sua autoridade pactual aos professores e à administração. Esta é uma grande razão pela qual os pais cristãos devem enviar seus filhos apenas para uma escola cristã. Mas mesmo a escola cristã depende dos pais manterem seu papel no processo de discipulado. Sem os pais fazendo sua parte em casa, a escola cristã está travando uma batalha difícil.


Supondo que haja uma escola como esta a uma distância razoável, ainda há o desafio de pagar por ela. As escolas cristãs particulares não são gratuitas. Elas não têm muito dinheiro de impostos disponíveis para financiar os prédios e salários de professores. Assim, as escolas cristãs precisam cobrar mensalidades, geralmente algo em torno de US$ 10.000 por aluno anualmente. Esta é provavelmente a razão número um pela qual os cristãos optam pela escola pública, pois eles simplesmente não querem pagar mensalidades em escolas particulares (pense nisso — se o custo das escolas cristãs particulares e das escolas públicas fosse o mesmo, poucos cristãos escolheriam a última.) Então, a questão é: valorizamos a educação de nossos filhos? Gastamos nosso dinheiro em coisas que valorizamos. Se valorizarmos a educação de nossos filhos e acreditarmos que eles deveriam receber uma educação cristã, sacrifícios serão feitos para que isso aconteça.


Vantagens da Educação Domiciliar

No entanto, existem desafios para o modelo de escola cristã particular. Uma escola particular ainda tem o problema de ensinar um grande número de alunos ao mesmo tempo, todos com diferentes habilidades. Um professor, neste caso, não pode focar seu ensino nos alunos mais fracos ou nos mais fortes, pois isso prejudicaria o outro grupo. Os professores acabam, assim, ensinando todos da turma no mesmo ritmo, o que acaba sendo um problema para todos. Esse problema pode ser evitado com um ensino individualizado, onde o aluno vai no seu próprio ritmo para cada matéria. E quem está mais bem equipado para fornecer tal educação individualizada do que os pais de uma criança? Isso, claramente, é uma grande vantagem da educação domiciliar.


Como já mencionado, as escolas cristãs particulares também podem ser caras. Mesmo uma escola particular com preços razoáveis pode custar cerca de US$ 10.000 por aluno, o que se torna muito caro se a família tiver vários filhos. Educação domiciliar novamente tem uma vantagem aqui. O número de recursos de educação domiciliar disponíveis continua a crescer, com novos livros didáticos, livros de exercício e vídeos online sendo produzidos todos os anos. O mercado maior também significa que o custo desses recursos está diminuindo. Os pais que dão aula em casa podem, portanto, educar seus filhos por uma fração do custo de uma escola particular. A principal despesa da educação domiciliar é o tempo, pois alguém precisa ficar em casa com as crianças para ensiná-las ou supervisionar seu autoestudo. Claro, isso pode ser uma ótima situação. Uma mãe que educa seus filhos em casa pode passar mais tempo com eles e economiza dinheiro com creche. Ela também tem a oportunidade de trabalhar meio período em casa, se desejar, especialmente à medida que os filhos crescem.


Mas, como a escola cristã, a educação domiciliar não é automaticamente (de facto) uma educação cristã. Educação domiciliar exige muito trabalho por parte dos pais, e é por isso que muitos preferem mandar seus filhos para uma escola. Além disso, os pais que ensinam em casa devem certificar-se de que eles próprios possuem uma cosmovisão cristã que possam transmitir a seus filhos. A educação domiciliar é, portanto, uma opção totalmente viável para os cristãos, mas exige que os pais sejam diligentes no trabalho de educar seus filhos.


A qualidade da educação domiciliar pode ser limitada por materiais e habilidades de ensino dos pais. Os pais devem procurar usar os melhores materiais de educação domiciliar disponíveis para seus filhos e também devem procurar ser os melhores professores que puderem. Obviamente, alguns pais são melhores professores do que outros, mas isso é um problema maior enquanto as crianças são pequenas. À medida que as crianças crescem, elas ficam mais bem equipadas para o autoestudo e podem ser guiadas por instruções online.


Ajudas Para a Educação Domiciliar

Uma grande ajuda para os pais aqui é o grupo local de educação domiciliar. Esses grupos podem fornecer ensino de alta qualidade por um custo menor do que as escolas particulares. Eles também promovem a comunidade entre os alunos (uma das principais críticas à educação domiciliar) e podem oferecer oportunidades para competições atléticas.


Os grupos de educação domiciliar geralmente seguem um modelo universitário de educação, com os alunos se reunindo uma ou duas vezes por semana com o professor e fazendo a maior parte do trabalho em casa. Isso é muito mais eficiente do que ter crianças em uma sala de aula durante sete horas por dia.


Quer os pais encontrem ou não um grupo de educação domiciliar adequado, eles ainda podem aproveitar o número crescente de recursos de educação domiciliar. Vídeos e livros estão sendo desenvolvidos todos os anos para auxiliar no processo de ensino domiciliar. As palestras em vídeo funcionam melhor para instrução primária em uma matéria, enquanto livros e exercícios podem ser usados juntamente como suplementos à instrução em vídeo.


Quanto ao conteúdo, as crianças pequenas devem se concentrar nas habilidades básicas de (1) leitura, (2) escrita e (3) aritmética. Estas são ferramentas essenciais para a aprendizagem e são habilidades que os alunos devem continuar a desenvolver ao longo do tempo. Depois que as crianças adquirirem uma competência básica nessas habilidades, elas devem passar para matérias mais amplas de estudo – matemática, ciências, história, literatura, linguagem, teologia e outras humanidades.


Quanto ao método, os pais deveriam considerar o método clássico conhecido como trivium. O trivium divide a educação em três estágios — gramática, lógica e retórica. Este método segue a tendência do desenvolvimento intelectual das crianças. As crianças pequenas devem aprender os fatos básicos de cada matéria (o estágio gramatical). Isso significa muita memorização, incluindo coisas como tabuada, datas e nomes importantes da história. À medida que as crianças chegam ao ensino fundamental (por volta dos 12 a 13 anos), elas devem desenvolver suas habilidades de raciocínio (o estágio lógico). Os alunos dessa idade geralmente adoram discutir, o que é ótimo para desenvolver sua capacidade de pensar. Finalmente, quando os alunos chegam ao ensino médio, eles devem começar a aperfeiçoar suas habilidades de redação, oratória e debate (o estágio da retórica). Os alunos nessa idade ainda devem aprender a gramática e a lógica de cada matéria que estudam, mas estão desenvolvendo-as para dominar cada matéria. É importante que os exercícios de leitura e escrita estejam presentes em cada matéria ao longo de todo o processo de escolarização, pois auxiliam no aprendizado do aluno e serão utilizados ao longo de toda a vida.


Quer os pais cristãos optem pela educação domiciliar ou por uma escola cristã particular, eles devem escolher uma opção que forneça uma educação cristã. Isso é o que Deus ordena aos pais, e é o meio que Ele ordenou para levantar uma nova geração de fiéis discípulos de Cristo. O teólogo R. L. Dabney resume melhor a importância dessa tarefa:


A educação dos filhos para Deus é a atividade mais importante feita na terra. É a única razão para o qual a terra existe. A isso toda política, toda guerra, toda literatura, todo ganho de dinheiro devem estar subordinados; e todo pai deve sentir especialmente, a cada hora do dia, que, além de garantir sua própria vocação e eleição, este é o fim para o qual ele é mantido vivo por Deus - esta é sua tarefa na terra. Na criação correta da geração que agora surge, diz respeito não apenas a salvação individual de cada membro nela, não apenas a esperança religiosa da era que se aproxima, mas o destino de todas as gerações futuras em grande medida. Crie aquele que agora é um menino para Cristo, e você não apenas santificará essa alma, mas também colocará em ação os melhores agentes terrenos para redimir toda a crescente corrente de seres humanos que procederão dele, até o momento em que os homens cessarem de casar e se dar em casamento. Até então, o trabalho de educação nunca acaba.[3]

Nossas decisões educacionais influenciam não apenas nossos filhos, mas todas as gerações futuras.


 

[Esse texto foi extraído do livro "Pensando Biblicamente Sobre Educação" de Zachary Garris. Você pode adquirir o livro clicando aqui.]


 

[1] Infelizmente, alguns estados ainda têm muitos regulações em relação aos requisitos de educação domiciliar e/ou escolas particulares.

[2] Deve preocupar os pais que existem poucos requisitos morais para professores de escolas públicas. Muitos pais hoje têm padrões mais elevados para babás do que para os professores de seus filhos.

[3] R.L. Dabney, “Parental Responsibilities (Responsabilidades dos Pais)” em Discussions, Volume 1 (Harrisonburg, VA: Sprinkle Publications, 1994), pp. 691-692.

29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page